O que é o Novo Marketing?

13/03/2018 às 22:10 Marketing

O que é o Novo Marketing?
Mudam-se os consumidores, mudam-se as estratégias de marketing. Embora haja certos caminhos que são recorrentemente percorridos para que os seus produtos e serviços sejam vendidos, há algo que sempre lhes é primordial: a primazia de seu cliente.

Dadas as especificidades do cliente é que os meios justificam os fins, ou seja, em favor de que a experiência do consumidor seja maximamente positiva é que as estratégias de marketing para se alcançá-lo devem ser direcionadas.

Passível às instabilidades do tempo e de seus contextos, o consumidor também muda. É o caso, por exemplo, do advento digital que tornou as relações mais rápidas, mais instantâneas e menos presenciais. Desse modo, a maneira de abordar esse consumidor em favor de alavancar as suas vendas também muda. Saiba mais lendo o nosso conteúdo do e-book "Como alavancar o meu negócio".

Para tanto, o marketing também se tornou digital e fez com que empresas inteiras migrassem de seu meio físico para o meio virtual e, ali, já lidasse com um novo perfil de clientes que, ainda que tivessem relativamente o mesmo perfil de seu público-alvo físico, contavam com algumas particularidades para que fossem bem atendidos.

A questão é que o direcionamento de um novo marketing atende a maneira como que as relações entre as pessoas têm sido encaminhadas.

No novo marketing, ajuntam-se o feeling pessoal para enxergar uma campanha que atenda a todos, ao mesmo tempo em que seja planificada, à tendência do mercado digital, ao perfil do seu negócio, às suas possibilidades e a um site com hospedagem com wordpress de qualidade que, por sua vez, é oferecido a partir de R$ 29,90 por mês, conforme sua necessidade.

Marketing 3.0? E o 1.0 e o 2.0?

O marketing 1.0 data da revolução industrial quando as empresas produziam em alta escala e a baixos preços. Seu cerne era o produto de modo que as estratégias de venda se voltavam para a persuasão de que o produto é que era indispensável ao consumidor, independentemente de quem se tratasse.

O marketing 2.0 surge no advento da era da informação. Com empresas cada vez mais padronizadas, era preciso fazer-se diferente e, para tanto, a necessidade de cada público passou a ser pensada e a respeitada.

O marketing 3.0 centra-se nos valores e na especificidade do consumidor. É uma relação de compartilhamento e de troca entre os envolvidos.

E você, conhece mesmo o seu cliente?

E para se destacar em meio ao bombardeio de campanhas de divulgação no meio online, é preciso sempre pensar em maneiras que aproximarão os seus produtos e serviços à necessidade de seu cliente.

Atravessado pela segmentação de público, o novo marketing está voltado para a atenção das métricas que medem os perfis dos consumidores para que eles sejam atingidos na hora e no lugar certo por sua oferto, tornando quase certeira a concretização de sua venda e da fidelização desse cliente.

Cativar, compor, educar e lidar

Não se trata apenas de sufocar os usuários com a oferta de serviços; mas é preciso cativá-los, gerar conteúdo de qualidade a eles, educá-los e lidar diretamente com suas particularidades. Sendo assim, antes que uma oferta esteja finalmente sob a posse de um cliente, uma série de estratégias o antecedem.

Interfira na decisão de compra.

A decisão por comprar ou não comprar não está mais previamente realizada, com o novo marketing ela passa necessariamente pela aplicação de certas estratégias. Há toda uma reestruturação de seu mecanismo de venda, aquela mesma que dá exclusividade ao consumidor, aquela que o direciona para todas as possibilidades de consulta a respeito nas redes sociais.

Geralmente, esse produto é um pouco mais caro do que o produto vendido pelo marketing de outrora: com marca conhecida, porém, com visual e corte genéricos e sem espaço nas mídias sociais. O que se vendeu é um momento de interação, o mesmo que agrega clientes mais fidelizados e satisfeitos.

Mas, o marketing mudou tanto assim?

O novo marketing ainda é o mesmo no sentido de atender às vontades do cliente, ao mesmo tempo em que entrega valor e satisfaz a marca. O que evolui são os meios de se fazê-lo, nesse caso, a entrega do produto e do serviço fica em segundo plano, quando ele deverá ser manuseado em favor do cliente, como serviente ao cliente.

Afinal de contas, quem é esse novo consumidor?

Ele é:

Imediatista e impaciente. Sites lentos, design confuso, imagens de baixa resolução e boa visibilidade, informações indisponíveis ou mal-dispostas, cores cansativas aos olhos, domínio sem segurança: tudo isso faz com que o consumidor parta logo para outra busca;

Quer se sentir único. Produtos de fabricação em série, poucas opções de cores, formatos, tamanhos ou modelos, conteúdos vazios e despersonalizados, pouca ou nenhuma renovação de estoque, campanhas genéricas. Se a sua loja virtual apresenta algum desses pontos, fuja já desse problema!

Caminha com a internet. O acesso mobile é o que permite o acesso à informação em qualquer hora e em qualquer lugar, desse jeito, não ter um site que também caiba na versão mobile é desconsiderar potenciais consumidores;

Quer respostas claras e diretas. Sites com reviews, depoimentos, pesquisa de satisfação, chats com pessoas de verdade e retorno imediato são mais humanizados, logo, aproximam-se mais das necessidades e interesses de seus consumidores;

Quer tudo mastigado. Nada de informações dúbias, asteriscos com notas minúsculas ou a necessidade de se clicar em muitos links para se chegar à resposta desejada. Os consumidores se sentem enganados e desrespeitados com isso e não demoram muito a esquecer a sua loja e a fazer uma propaganda negativa dela;

Quer se sentir mimado lembrado. A dedicação ao cliente, em favor de sua exclusividade e atenção às suas necessidades é outro ponto do novo marketing. Trabalhar a potencialidade de seu consumidor requer uma atenção real, um cuidado humanizado e a prontidão aos seus apelos sempre.

Fuja das respostas automáticas!

Manter uma equipe integral em seu chat, cuidar de postagens com resenhas e passo a passo de seus produtos e serviços, sanar as dúvidas e apresentar soluções e postar os depoimentos positivos dos seus clientes são exemplos de como isso pode ser feito.

O novo marketing ainda conta com o e-mail marketing como estratégia potente. A finalização de uma compra não é o fim do processo, depois disso, o cliente quer ser lembrado nas datas especiais, nas liquidações, nas ofertas especiais pensadas no histórico de compras do consumidor, isso é importante para a maioria deles;

Quer todas as opções. Lojas virtuais devem ter ofertas de diferentes ordens, uma quantidade significativa de opções de pagamento, parcelamento e fretes e, é claro, uma diversidade de produtos e serviços diretamente à venda e em estoque;

Quer propostas divertidas. Uma linguagem descolada, um design diferenciado ou uma marca diferenciada: são alguns dos detalhes que fazem a diferença no novo marketing;

Quer coisas bonitas. O consumidor é realmente a prioridade. E para que sua experiência seja plena a ponto de ele tornar-se fiel a seu produto e serviço, o design de qualidade é fundamental. Quando os clientes são atraídos pelo que há de melhor visualmente, parte da tarefa está cumprida, depois da qual é necessário cuidar de um conteúdo de qualidade. Uma apresentação clara, intuitiva e agradável aos olhos do visitante de seu site, página ou loja, é o que o convidará a voltar naturalmente;

Quer uma marca respeitada e com valores aceitáveis. Uma das consequências da era digital é que é preciso pensar minimamente em tudo o que é dito e publicado, pois, em menos de segundos, essas declarações ao compartilhadas e ficam suscetíveis a todo tipo de interpretação. Marcas ligadas a causas legítimas são mais facilmente aceitas, pessoas públicas com posicionamentos rejeitados, também não, com a mesma rapidez. Relacione seus produtos e serviços a causas bacanas sempre;

Está nas redes sociais. Se sua loja virtual não tem ícone direto para clicar em suas redes sociais, você já deixa de fidelizar muitos consumidores. Além disso, é por lá que temos métricas eficazes para a definição de seu público-alvo e a primazia por um contato mais direto com seus visitantes, pois, é lá que ele postará sobre sua experiência com sua marca, disseminando-o, positivamente ou não.

Não quer ser invasivo, quer participar. Chega de spams, de convites para curtir páginas ou fazer parte de eventos ou de links patrocinados na sua timeline. O convencimento pela insistência não tem lugar no novo marketing, mas sim, a sensação de que a marca existe para ele e não o contrário.

O consumidor é o centro!

No final das contas, o novo marketing, o marketing 3.0 eleva a outro nível o significado de presença digital, pois, reconsidera as suas estratégias em favor do que o consumidor realmente quer, do lugar de que fala, do que anseia, como um espaço de troca, de acréscimo, de co-participação. E você, já está preparado?

Gostou de nosso post? Compartilhe: