Carreira de freelancer: vale a pena trabalhar de graça no início?

06/08/2018 às 18:28 Ajuda

Carreira de freelancer: vale a pena trabalhar de graça no início?

Se você é freelancer, em algum momento, já deve ter recebido uma ousada proposta para trabalhar de graça, principalmente se sua carreira estava bem no início.

Pode parecer estranho, mas isso é mais comum no mercado do que se possa imaginar. É claro que tudo na vida tem vantagens e desvantagens.

Se você está começando a atuar agora como freela, está lendo o artigo certo. Saiba se vale a pena ou não trabalhar de graça no início para adquirir experiência em troca da divulgação do trabalho. 

Tudo vai depender da sua necessidade

O maior problema é que essa prática pode prejudicar outros profissionais da área, que já estão com a carreira mais sólida no mercado.

A partir do momento que determinada empresa ou cliente sabe que um freelancer topa trabalhar de graça ou pratica um preço muito abaixo da média do mercado, provavelmente ele não vai querer mais pagar o valor justo pelos trabalhos. 

É claro que isso não é proibido e tudo vai da sua necessidade profissional naquele momento.

Vários redatores em início de carreira começaram escrevendo de graça para alguns sites e blogs.

Depois de um tempo e de uma certa experiência adquirida na área de atuação, você pode começar a negociar um preço justo com seus clientes pelos artigos redigidos.

Uma boa dica é você fazer uma auto avaliação do seu trabalho e analisar se ele merece ser pago ou não. Leia nosso post sobre vantagens de Criar um Blog  

Plataformas, redes sociais e sites de agências

Para o freelancer que ainda não tem muita experiência em seu nicho de mercado, as plataformas de trabalho freelancer e sites de agência de comunicação são ótimas opções para aprimorar os conhecimentos e ainda ser pago pelo serviço. 

É claro que alguns preços não são nada atrativos, mas é melhor do que não receber nada pelo trabalho. Como foi dito anteriormente, tudo vai depender da sua necessidade financeira. 

Tudo no começo, independentemente da profissão escolhida, é bem complicado, pois você precisa adquirir algum tipo de experiência e se aprimorar. 

O freelancer precisa aprender como conversar com os clientes, a prospectar novos e saber quais serão os trabalhos que merecem destaque no seu portfólio, além de precificar seu trabalho. Aprimore seus conhecimentos em Como criar um blog, nesse post nós revelamos dicas sesacionais!

Todo esse processo pode levar algum tempo, principalmente quando você não tem uma pessoa mais experiente ao seu lado para te orientar.

Por isso, é que muitos freelancers se questionam se vale realmente a pena trabalhar de graça. 

Até que ponto vale a pena trabalhar de graça?

Cada caso deve ser analisado individualmente, sem julgamentos.

Para alguns profissionais pode valer a pena trabalhar durante algum tempo de graça para alguns blogs, por exemplo, para adquirir experiência na área. 

Depois de ter um certo domínio do negócio, você pode montar um portfólio bacana para apresentar aos seus clientes que, certamente, irão te pagar pelos seus serviços.

De uma forma geral, pode-se dizer que trabalhar de graça no início da carreira vale a pena nos casos abaixo: 

  • Adquirir experiência para criar seu portfólio;
  • Fazer algo em que acredita e gosta;
  • Ganhar conhecimento no seu nicho;
  • Fazer algo que nunca tenha feito antes, mas sem muita pressão do cliente.

Mas também existem alguns casos em que trabalhar de graça pode não ser tão vantajoso assim para o freelancer. 

  • O cliente solicita diversas alterações no trabalho como se estivesse pagando pelo mesmo;
  • O trabalho demanda muitas horas do seu dia;
  • Você já tem experiência suficiente na área ou no assunto.

Mas tudo isso é extremamente relativo para cada pessoa se dispor a trabalhar de graça.

Se sua necessidade for somente adquirir experiência na área e a parte financeira não for um problema, pode compensar bastante. Conheça nosso serviço de Hospedagem de Site

As plataformas de trabalho freelancer são as grandes vilãs?

Depende do ponto de vista de cada pessoa. O fato é que diversas plataformas de trabalho freelancer estão à procura de profissionais e não querem pagar muito pelos serviços. 

Como dissemos antes, o maior problema é que tem pessoas que aceitam trabalhar por um preço bem abaixo do praticado no mercado por outros profissionais.

Diante desse impasse, as plataformas oferecem um pagamento irrisório pelos serviços dos freelas. 

Não podemos julgar os freelancers que aceitam qualquer valor pelos seus serviços, principalmente por causa da crise financeira, em que muitos vivem com a corda no pescoço ou querem complementar a renda.

A questão principal é que existe um pequeno grupo que sai lucrando com tais plataformas de serviços freelancers, onde não existe uma tabela de preço para ser seguida. 

Vale sempre a famosa lei da oferta e da procura.

Com milhões de desempregados, cresce a procura por trabalho, fazendo as empresas pagarem cada vez menos, pois existem inúmeros profissionais dispostos a aceitar qualquer preço. É complicado!

Quanto devo cobrar pelo meu trabalho?

Suponha que você seja um redator freelancer. Se você quiser pesquisar sobre quanto deve cobrar por seus serviços, tem basicamente duas boas opções.

A forma mais comum praticada pelos freelancers é cobrar por hora trabalhada.

Outra forma de cobrar dos clientes é por jobs. Você pode fechar um pacote de artigos e dar seu preço para o cliente.

Ele vai pagar por cada artigo feito e o preço pode variar de acordo com o número de palavras e imagens. 

Mais uma vez, tudo vai depender exclusivamente do tema a ser trabalhado e da dificuldade do mesmo.

A desvantagem de cobrar por hora trabalhada é que nem sempre é lucrativo para o redator, pois ele pode levar pouco tempo para fazer um texto e muito tempo para fazer outro. 

A forma mais viável é cobrar por número de palavras. Dessa forma, as chances de ser mais assertivo são maiores e a maioria dos clientes acham mais justo pagar dessa forma.  

A região influencia 

Outro detalhe que até passa desapercebido é a questão da região do Brasil onde o cliente está.

A faixa de preços praticada na região nordeste, por exemplo, pode variar da faixa de preços praticada nas grandes capitais do sul e sudeste. 

Por causa do poder econômico de cada uma das duas regiões, o preço pelo trabalho pode variar significativamente.

Criar uma tabela de preços ou pedir ajuda a profissionais mais experientes pode ser uma alternativa para o freelancer. 

Ainda tem dúvidas? Sem problemas. Em nosso blog você pode ler mais sobre esse e outros assuntos.

Gostou de nosso post? Compartilhe: