Programador, saiba a hora de pedir ajuda

04/01/2020 às 21:23 Ajuda

Programador, saiba a hora de pedir ajuda

O código não funciona; o app travou; o prazo para entregar o projeto está perto de acabar e você ainda está na metade do caminho.

Situações como essas geram estresse e podem prejudicar o rendimento do programador, seja ele iniciante ou experiente. Pedir ajuda parece ser a solução mais indicada.

No entanto, seu colega está tão atolado quanto, ou ainda, você é novo na função ou está só começando, então não quer ser o chatonildo da vez, né?

Para te ajudar a pedir uma mãozinha e resolver esses e outros problemas, separamos algumas dicas que podem te livrar de apuros.  

Assim, você não vai precisar toda vez levar aquele dedinho inconveniente para cima do ombro do coleguinha e ainda vai aprender coisas novas com autodidatismo. Portanto, se você é programador e quer saber a hora de pedir ajuda, confira essas dicas agora!

Faça uma pesquisa no Google

Quer saber a hora de pedir ajuda? Experimente fazer uma pesquisa no Google. Simples assim.

Pode ser uma dica para quem não entende absolutamente nada de programação, mas funciona da mesma forma.

Antes de perguntar a alguém, corra para o Google ou outro buscador de sua confiança, e faça questão de permanecer pelo menos cinco minutos pesquisando sua dúvida.

A maioria dos programadores está disposta e feliz em oferecer ajuda e responder sua pergunta.

Há uma quantidade imensa de fóruns e páginas especializadas com orientações profissionais e confiáveis.

Desse modo, resista à tentação de ir logo falando com seus colegas e faça uma básica pesquisa antes. Se você não tentar esse caminho primeiro, eles podem pensar como se você não valorizasse o tempo deles.

Formate seu código

O primeiro erro que muitos programadores cometem quando pedem ajuda é esquecer de formatar o código.

Quando você está pedindo ajuda para uma questão, por exemplo, acerca de um fragmento de código, é recomendado utilizar uma ferramenta de terceiros, como Github Gists, para enviá-lo.

Um erro comum é copiar e colar código diretamente de uma página do Facebook.

Em vez disso, escreva o código no Github Gist e inclua um link para ele quando você fizer a pergunta.

Essa é uma maneira rápida de conseguir ajuda para a leitura de seu código e o diagnóstico de seu problema.

Quem quer que esteja te auxiliando, vai resolver o problema com mais agilidade.

Faça um checklist

Você tentou todos os caminhos para a solução do problema e finalmente tomou a decisão de pedir ajuda. Será que todas as possíveis saídas foram pensadas?

Para evitar que, ao pedir ajuda, seja algo do qual você saiba, algo simples, mas passado despercebido, uma dica é fazer uma checklist.

Descreva e relembre as etapas pelas quais você passou antes de travar em um dado ponto de seu trabalho.

Inclua qualquer coisa que pode ser útil a desbloquear sua tarefa sem precisar pedir ajuda. A etapa final nesse processo, se necessário, será pedir assistência para outra pessoa do seu expediente.

Veja um exemplo de checklist com perguntas que você pode fazer para si mesmo antes de pedir uma mãozinha do colega:

  • Eu reiniciei meu ambiente de desenvolvimento?
  • Eu escrevi do que se trata o problema?
  • Eu pesquisei no Google sobre ele?
  • Eu executei o comando de build-cleaning que já funcionou em algumas ocasiões?
  • Eu pesquisei os documentos internos da empresa para verificar se existe uma solução para isso?
  • Eu li algum código-fonte relacionado ao meu por pelo menos 20 minutos?

Se você já tentou essas etapas, então com certeza é hora de um programador pedir ajuda.

Você já conhece o nosso serivço de Hospedagem de Site? O plano básico de hospedagem é o produto ideal para quem está começando na internet, os planos são a partir de R$ 9,90 (pagamento mínimo trimestral para esse plano). Confra agora!

Participe ativamente do processo de ajuda

Uma vez que você pediu ajuda e o processo já iniciou, não fique do lado apenas esperando que essa pessoa faça esse trabalho.

Trabalhe como um time e mantenha-se à disposição o tempo necessário para a conclusão da tarefa.

Faça questões usando “por quê”, como “porque um Node poderia não ser seguro?” e “por que você está procurando esse arquivo?”. Aproveite o processo para aprender.

Escreva notas durante todo o trabalho. Elas podem ser úteis em outra ocasião e demonstram respeito e admiração a quem está ajudando você.

O aprendizado ativo é de longe a forma mais eficiente de reter conhecimentos do que o aprendizado passivo. Assim, participe o quanto puder, com perguntas e fazendo anotações.

A Pair Programming, ou programação em par, por outro lado, demanda muita energia.

Se você percebe que sua disposição está caindo, não receie em comunicar que está indo trabalhar no problema por sua conta própria por um tempo.

Informe de que forma você irá se concentrar na questão, de maneira que seu parceiro possa deixá-lo assumir essa tarefa com confiança.

Leia também: Hospedagem ilimitada existe?

Consolide o que você aprendeu

Como dito no tópico anterior, reter o aprendizado é não apenas importante como crucial, especialmente quando você estiver trabalhando com mais alguém.

Escreva as ideias mais complexas e difíceis assim que possível. Processos mais delicados e técnicos devem ir para o bloco de anotações imediatamente.

Uma dica para guardar essas informações é usar o Quiver, um app que retém e organiza dados.

Caso você tenha buscado ajuda em um canal Slack, dê feedback a respeito de qual caminho resolveu seu problema.

Isso vai ajudar a formar uma base de conhecimento que será útil para você e para outros. Além disso, você vai se sentir mais encorajado a buscar ajuda posteriormente.

  • Quer uma ajudinha a mais para melhorar sua memória? Experimente a técnica da repetição espaçada. Nesse método de fixação de conhecimento, uma nova informação aprendida é repetida de forma estratégica, em intervalos de tempo crescente.

Por exemplo: você acabou de aprender uma nova forma de corrigir um erro de programação nunca ouvida antes.

Daqui a uma semana, você vai revisar esse conteúdo, e, depois de um mês, fazer novamente.

Esse método é indicado quando há muitos itens que precisam ser memorizados indefinidamente, especialmente termos técnicos.

Um programa que oferece a repetição espaçada é o Anki. Através de flashcards, o software ajuda a criar uma rotina de memorização de dados.

Outra maneira de usar a técnica é programar o envio de e-mails para si mesmo, o e-mail Boomerang.

Essa é uma ferramenta de produtividade bastante útil para lembrar de novas informações e existe uma versão gratuita para o Gmail.

Você pode gostar: Passo a passo para criar um blog

E aí, o que achou das nossas dicas de hoje? Se você é um programador e não sabe exatamente qual é a hora de pedir ajuda, temos certeza que elas foram de muito valor para você.

Se precisar de alguma outra coisa, é só deixar nos comentários. Afinal, pedir ajuda pode ser de grande valia para seu trabalho!

Gostou de nosso post? Compartilhe: