O que você precisa saber sobre Design Thinking?

15/05/2018 às 18:59 Ajuda

O que você precisa saber sobre Design Thinking?

Todas as pessoas que tem uma empresa, seja virtual ou física, precisam ter soluções para os diversos problemas que aparecem no dia a dia. Tudo isso deve ser forma coletiva e colaborativa em uma perspectiva de empatia máxima com as pessoas que são colocadas no centro de desenvolvimento do produto e não somente o consumidor final.

Mas todos os envolvidos na ideia de trabalhos em equipes multidisciplinares são comuns nesse conceito. Um termo muito comum usado por algumas pessoas é o design thinking. Esse artigo vai te mostrar tudo sobre ele e todas as suas vantagens para sua empresa se usado da forma correta. 

O que é design thinking? 

Trata-se de uma forma de resolver problemas, desenvolver produtos e pensar projetos baseada no processo cognitivo que os designers usam. Fazem parte desse pacote: pesquisa, brainstorms, seleção de ideias, prototipagem. 

Ele parte do levantamento das reais necessidades de seu consumidor, ou seja, se refere a um tipo de abordagem preponderantemente humana e que pode ser usada em qualquer área de negócio.

O principal objetivo do design thinking é a satisfação do cliente interno ou externo, que só pode ser alcançada quando se conhece em profundidade suas necessidades, desejos e percepções de mundo. 

Em suma, o design thinking é uma abordagem para inovação que usa ferramentas dos designers para integrar as necessidades das pessoas, as possibilidades da tecnologia e os requisitos para o sucesso dos negócios. Leia nosso post sobre Como criar um blog

Quando foi inventado?

Em 1991, quando a empresa IDEO foi fundada, a abordagem que a consultoria usava era o design thinking para resolver os problemas e a empresa já começou a ficar famosa no Vale do Silício. Um grupo formado por profissionais de várias áreas como engenheiros, psicólogos e designers usou o design thinking para criar um carrinho de compras inovador. 

Para que serve o design thinking?

Principalmente para criar novos produtos e serviços. Mas a sua lista de utilidades é extensa, como por exemplo, pensar em soluções para os diversos problemas de empresas e seus clientes, desenvolver novas ferramentas e até marcas. Em suma, a meta é fazer inovação na prática.

Como o design thinking é uma abordagem, uma forma de encarar as coisas, o ideal é que os principais valores dele que são empatia, colaboração, experimentação sejam incorporados ao dia-a-dia das empresas, para resolver todo tipo de situação. Conheça agora suas fases e fique por dentro

1) Identificar onde encontrar oportunidades de inovação

O fato de Criar empatia ou compreender significa entender quais são as necessidades das pessoas envolvidas no problema, que podem ser consumidores ou funcionários e do que precisam, do que gostam e do que querem.

Descobrir onde encontrar caminhos para inovar envolve conhecer a si mesmo e ao ambiente externo. Conhecer seus pontos fortes, as fragilidades da concorrência, as condições macroeconômicas, entre outros.

Análises diversas, pesquisas de mercado e reuniões multidisciplinares te conduzirão às respostas dessa fase. Conheça nosso serviço de Hospedagem de Site

2) Descobrir a Oportunidade de Inovação

Essa é a consequência direta da fase anterior. Nesse caso, as pesquisas qualitativas e trabalho com soluções de Big Social Data podem indicar muito mais além do setor, qual é real a oportunidade que o mercado desenha ao seu negócio. A partir de uma minuciosa pesquisa de identificação, você deve delimitar qual é o problema e o que precisa ser resolvido ou criado.

3) Desenvolver a Oportunidade de Inovação (Produto ou Serviço)

O design thinking começa a tomar forma nessa etapa. Você deve desenvolver o produto ou serviço partindo não de pressuposições ou análises estatísticas frias, que é algo comum no mercado, mas a partir das necessidades e percepção de valor de cada cliente. 

Nesta etapa, você deve lançar mão do famoso brainstorm, em que as ideias e sugestões devem fluir sem censura, sem medo de errar. Lembre-se de que seu objetivo deve ser de descobrir o diagnóstico e o processo criativo para gerar as possibilidades de produtos. Aprimore seus conhecimentos em vantagens de Criar um Blog  

4) Testar as ideias e protótipos

Você pode usar um MVP, que é muito usado em startups nessa fase. Trata-se de uma versão mais simples de um produto, que pode ser lançada em período de testes para verificar, sem grandes gastos, se sua ideia realmente atinge as necessidades do seu consumidor final.

Escolha uma ou algumas ideias que ajudam todo o grupo a organizar e selecionar as ideias mais recorrentes ou mais interessantes e criar protótipos de produtos que possam resolver os problemas dos clientes.

Pode ser um desenho, uma maquete feita com caixas velhas e fita crepe, ou seja, algo que simule o produto final.

5) Testar a solução

Após testes com respostas positivas acerca de seu produto, ele já está pronto para ser lançado no concorrido mercado. É importante entender que o processo de desenvolvimento do produto é contínuo e incremental, ou seja, sua ideia irá ser melhorada permanente através um processo de coparticipação entre todos os seus clientes, fornecedores, colaboradores internos, entre outros.

Agora é hora de experimentar os protótipos e escolher o que faça mais sentido para seu negócio como um todo. Observe bem o que pode fazer mais sucesso entre seu público-alvo. 

Uso do design thinking

Várias empresas de diversos segmentos e portes, escolas, hospitais, ONGs e até órgãos governamentais usam o design thinking. Mega empresas conhecidas mundialmente também já incorporaram o design thinking ao seu dia a dia.

A empatia do design de produtos diz que todos devem que ser criados sempre pensando, antes de tudo, no usuário final. 

Recentemente, uma rede de supermercados mundial usou o Design Thinking para ajudar a implementar um serviço de banco personalizado para os clientes dentro das lojas. Grandes instituições financeiras também estão aderindo ao design thinking. 

Ainda tem dúvidas? Sem problemas. Em nosso blog você pode ler mais sobre esse e outros assuntos. Para nós o atendimento ao cliente sempre vem em primeiro lugar e não medimos esforços para prestar um atendimento de qualidade.

Gostou de nosso post? Compartilhe: