E-commerce B2B: Entenda o que é e o que é importante saber

E-commerce B2B: Entenda o que é e o que é importante saber

Categoria: Loja Virtual

03/05/2017 às 16:38

E-commerce B2B: Entenda o que é e o que é importante saber

Nos últimos tempos temos ouvido falar com uma frequência cada vez maior sobre o chamado e-commerce B2B. Isso também acaba sendo refletido no mercado. Algumas pesquisas apontam que esse setor vem apresentado um crescimento significativo e constante no Brasil. Um dos principais fatores apontados para o crescimento do e-commerce B2B é o fato de que as empresas estão se dando ao trabalho de entender um pouco, conhecer as vantagens e consequentemente se há um privilégio em fazer uma mudança para essa plataforma.

Tanto faz se olharmos sob a ótica da redução dos custos quanto do ponto de vista da eficiência que envolve os mais variados tipos de processos de compra e venda. Parece não haver dúvidas de que o e-commerce business to business vem crescendo e se solidificando cada vez mais entre as empresas, dos mais variados portes, do Brasil. No meio disso tudo a coisa mais óbvia é que o empresário se veja, de certa forma, preocupado (com as plataformas de e-commerce B2B) uma vez que é mais comum do que se imagina encontrar diferenças profundas quando o assunto é o sistema propriamente dito. Até mesmo pelo próprio aspecto de funcionamento do B2B, o número de empresas que desenvolvem sistemas de e-commerce B2B só cresce (até porque a demanda também está em alta). Saiba também Dicas para aumentar suas vendas no E-commerce   

O que é uma plataforma de e-commerce B2B

Em termos amplos, mas bastante objetivos, uma plataforma de e-commerce B2B trata-se de um sistema que foi criado e estruturado com o foco voltado para o mercado de e-commerce entre as próprias empresas. Assim como ocorre no comércio eletrônico B2C, os sistemas B2B contam fundamentalmente com dois ambientes. O primeiro é o Front-End, que se trata do ambiente web que é o usado pelos clientes. O segundo é o Back-End,é aqui que vamos ter o chamado módulo administrativo da loja virtual. Em outras palavras, é nesse ambiente que são feitas todas as rotinas administrativas do negócio.

É importante observar que a formação desses sistemas (B2B) é muito parecida com as que integram o sistema de plataformas de e-commerce business to consumer. Entretanto, tais semelhanças, como veremos mais a fundo, param por aí.

Principais características do e-commerce B2B

Entre a formação de uma loja com o foco voltado para o B2B e uma concentrada no B2C há diferenças muito (muito mesmo) grandes. Bom, de fato é possível encontrarmos empresas por aí que acreditam que, de um jeito mais amplo, seria tudo a mesma coisa. Pode até parecer isso mesmo. Mas ao olharmos para a coisa em si, para a prática mesmo, vamos perceber claramente que o tipo de demanda operacional é muito diferente uma da outra.

É aqui que entra vários fatores determinantes. O principal deles talvez esteja ligado ao modelo de e-commerce que uma determinada empresa adota. Perceba que o tema central neste caso não são os produtos propriamente ou ainda a quantidade que é negociada. Trata-se do destino das mercadorias comercializadas. O e-commerce B2B, nesse sentido, é encarado e caracterizado sob a ótica da atividade fim. Isso até porque, tanto no e-commerce B2B quanto no B2C, o que importa mesmo é ela. E nesse ponto, mais uma vez (atividade fim), as coisas começam a apresentar diferenças importantes.

O e-commerce B2B

Quando falamos de B2B é fundamental considerarmos um detalhe: No que diz respeito a chamada jornada de vendas, as personas são diferentes entre si. É de extrema importância considerar esse aspecto uma vez que no B2B é estabelecida uma relação de compra e venda entre duas empresas já estabelecidas. Com isso em mente também é preciso analisar e repensar todo o processo de compra. Isso quer dizer da entrada do cliente, o jeito da busca, a compra dos produtos e, o mais importante neste caso, os pagamentos.

E já que estamos tratando disso, há um ponto que vale a pena ser visto com cuidado aqui que é o de B2B para revenda. Existem alguns aspectos que não podem ser deixados de lado. Por exemplo, como apontado, há certas diferenças que precisam ser analisadas quando uma empresa vende um produto para outra empresa que, por sua vez, irá consumi-lo. Mas, e no caso de acontecer de ser uma empresa compradora que irá revender?

Nesse sentido, um dos pontos que mais se destacam diz respeito ao fato de que, no momento da venda, é preciso considerar inúmeros fatores. Um dos mais importantes diz respeito as regras locais. Até porque se isso for deixado de fora com certeza a empresa se verá com problemas para chegar a um preço final para o cliente.

Aqui no Brasil, quando uma empresa vai vender pela internet ela precisar pesar diversos pontos. Alguns deles são:

- Qual é o enquadramento fiscal da empresa compradora: Simples Nacional, Presumido, Lucro Real.

- O item que está sendo comercializado tem ICMS-ST. Em caso positivo, qual é a alíquota que deverá ser usada.

- De onde vem o produto (origem) e para onde vai (atenção especial para a alíquota citada acima).

- Existem acordos entre os estados que podem provocar alguma mudança nas alíquotas.

Não é fácil. Mas é esperado. Quem é empresário sabe o quanto o sistema fiscal brasileiro gosta de apresentar níveis cada vez mais altos de complexidade. Claro que eles acabam deixando o caminho para se realizar uma venda pela internet muito mais complicado. Esse cenário em grande parte, é influenciado pelo aumento no volume de pedidos. Com isso, fica fácil perceber que seja lá qual for a plataforma de e-commerce B2B que estiver sendo usada pela empresa, é necessário que seja capaz de suportar todos os aspectos que implicam uma venda B2B em termos de revenda.

Empresas B2B

Mercado PME: Este foi o primeiro marketplace de plataforma B2B brasileiro. Ele reúne várias (são dezenas) de empresas que são voltadas para uma atuação exclusiva em revendas. Disney: Surgiu em 2014 com o objetivo de atender o mercado de micro, médio e pequenos lojistas tanto online quanto off-line que apresentavam, em comum, o fato de que não tinham capacidade de realizar compras diretamente dos revendedores. Por fim, via de regra, o empresário precisa analisar todos os aspectos antes de optar pelo sistema B2B e ter mais atenção ainda quando for escolher qual plataforma irá aderir.

Gostou de nosso post? Compartilhe:

Talvez você goste

Top