Programação Orientada a Objetos: aprenda e se destaque no mercado

27/07/2018 às 18:34 Ajuda

Programação Orientada a Objetos: aprenda e se destaque no mercado

Quem trabalha com desenvolvimento de softwares sabe que essa é uma área extremamente ampla. Atualmente no mercado existem várias linguagens de programação que seguem por várias vertentes.

Uma delas é Programação Orientada a Objetos, que é uma das mais usados pelos programadores. Mas do que se trata a POO? Esse artigo vai te mostrar tudo sobre esse assunto para que você aprenda de uma vez por todas e se destaque no mercado de trabalho. 

O que é a Programação Orientada a Objetos? 

A Programação Orientada a Objetos (POO) é uma maneira especial de programar, muito mais próxima da forma como expressamos todas as coisas na vida real do que se fosse outras linguagens de programação. 

Ela pode ser considera uma espécie de padrão de desenvolvimento de softwares e que é seguida por diversas linguagens de programação como C# e Java. 

A Programação Orientada a Objetos se baseia em 4 importantes pilares para que tudo funcione corretamente. Além disso, a POO oferece diversas vantagens em sua utilização. Leia nosso post sobre Hospedagem de site gratuito

Os 4 pilares da Programação Orientada a Objetos

Para que você entenda com clareza do que se trata a POO, vamos entender primeiramente quais são os principais requerimentos de uma linguagem de programação para ser considerada dentro desse contexto.

Para isso, a POO precisa atender a 4 tópicos que são fundamentais em todo o processo. 

Abstração

A abstração consiste em um dos principais pontos que estão inseridos dentro de toda linguagem Orientada a Objetos.

Como o programador lida com uma representação de um determinado objeto real, ele precisa pensar qual será a função desse objeto dentro de um sistema. Por isso, o profssional deve levar em consideração 3 pontos cruciais dentro da abstração. 

O primeiro deles é atribuir uma identidade ao objeto que será criado. Essa identidade deverá ser única dentro do sistema para que não aconteça conflitos durante a criação. 

O segundo ponto são as características do objeto. No mundo real, todo e qualquer objeto possui elementos que o definem. Por isso, chamamos esses elementos de propriedades.

O terceiro ponto é a definição das ações que serão executadas pelo objeto.

Elas são chamadas de métodos, que podem ser extremamente variáveis, pois diz respeito a uma determinada ação. 

Encapsulamento

O encapsulamento é uma das principais técnicas que define a POO.

Pode-se dizer que é tudo que adiciona mais segurança ao software, simplesmente pelo fato de ocultar as propriedades dos objetos. 

A maioria das linguagens orientadas a objetos implementam o encapsulamento com base em propriedades privadas, e métodos especiais conhecidos com getters e setters.

Tais métodos evitam o acesso direto à propriedade do objeto e adiciona uma camada extra de proteção ao software. 

Herança

A possibilidade de reuso de código é uma das grandes vantagens da POO. A principal responsável por isso é uma característica conhecida como herança que otimiza bastante a produção do software em tempo e linhas de código.

A herança, partindo das características do objeto, é considerada direta, enquanto as demais podem ser chamadas de heranças indiretas. 

Para exemplificar, é como se fosse uma família, ou seja, a criança herda as qualidades diretamente do pai e de forma indireta do avô e do bisavô. Aprimore seus conhecimentos em hospedagem ilimitada existe

Polimorfismo

O quarto e último pilar da POO é conhecido como polimorfismo. Trata-se da capacidade de alterar a forma original conforme a necessidade do momento. 

Em suma, o polimorfismo consiste na alteração de todo o funcionamento interno de um método herdado de um outro objeto dentro da aplicação. 

Como se trata de um assunto que está diretamente ligado à herança, é necessário que o programador entenda todo o funcionamento dos dois juntos.  

Vale lembrar que as linguagens de programação implementam o polimorfismo de diversas maneiras. 

Principais vantagens da POO

A Programação Orientada a Objetos nos remete uma ideia bastante interessante que é a representação de cada elemento como se fosse um objeto ou classe. 

Esse interessante tipo de representação visa aproximar todo o sistema que está sendo criado a tudo que é visto no mundo real, no que diz respeito às suas características e ações. Tudo isso traz algumas vantagens para o programador. 

Reutilização do código

É um dos principais requisitos no desenvolvimento de softwares. Como os sistemas estão cada vez mais complexos, o tempo para desenvolve-los de forma assertiva ficaria cada vez maior se não fosse possível a reutilização. Conehça nosso serviço de Hospedagem de Site

A POO permite que haja uma reutilização do código criado, diminuindo exponencialmente o tempo de desenvolvimento de um sistema, bem como o número de linhas de código.

As linguagens orientada a objetos trazem representações claras de cada um dos elementos, que são independentes. Por isso é possível que esse código seja reutilizado em quaisquer sistemas futuramente. 

Leitura e manutenção de código

Outra grande vantagem da POO diz respeito a leitura e manutenção de código.

Como toda a representação do sistema se aproxima bastante do que pode-se ver no mundo real, toda a compreensão geral ou de cada parte fica muito mais simples. 

Com isso, a equipe responsável pelo desenvolvimento do software não fica dependente apenas de uma pessoa, como acontecia quando se trabalhava com linguagens estruturadas.  

Criação de bibliotecas 

Esse é outro ponto que torna as coisas muito mais fáceis com a POO. Em outras linguagens estruturadas como o C, as bibliotecas, que são um conjunto de funções podem ser reutilizadas. 

No caso da Programação Orientada a Objetos, essas bibliotecas trazem as representações de classes, que são bem mais claras e precisas para permitirem que sejam reutilizadas. 

Conclusão

Em termos de desenvolvimento de sistemas mais modernos, a POO é a mais indicada devido as vantagens que foram apresentadas acima.

Elas são derivadas de um modelo de programação que busca uma representação que seja baseada em tudo que vemos no mundo real.

Ainda tem dúvidas? Sem problemas. Em nosso blog você pode ler mais sobre esse e outros assuntos. 
 

Gostou de nosso post? Compartilhe: