Como verificar se o processamento do seu website está lento

Como verificar se o processamento do seu website está lento

15/08/2017 às 16:00WordPress

Você já deve ter parado para pesquisar sobre a melhor forma de medir o desempenho do seu site através de testes de processamento, carregamento e outras otimizações, algumas vezes quando o seu site está consumindo mais do que o provedor do serviço disponibiliza, você acaba recebendo notificações de alerta ou até mesmo tendo o seu site apresentando erros de disponibilidade para alguns visitantes.

Já falamos algumas vezes sobre as otimizações que podem ser feitas no seu site ou blog, como otimizar o carregamento dos arquivos estáticos do site, falamos um pouco sobre a otimização de imagens para a internet, recomendamos alguns plugins que ajudam a aumentar a velocidade de carregamento do seu blog WordPress, e com certeza você já deve ter procurado muitos outros artigos se deseja mesmo melhorar seus resultados e fazer com que isso ajude no aumento das visitas e conversão de inscritos.

Quais os testes você pode fazer?

Alguns testes são básicos, muitos sites te ajudam a ter uma noção do que está ajudando e o que pode estar atrapalhando o desempenho do seu site ou blog em um determinado servidor, lembrando que uma hospedagem de qualidade será sempre um diferencial, mas você precisa sempre ter em mente que cada uma tem seus recursos e limites e você precisa de planos que comportem a sua utilização. Pensando nisso, vamos listar algumas ferramentas que vão fazer esse processo de análise e te ajudar a compreender o que você está precisando mudar no momento.

Quantas vezes falamos do PageSpeed Insights?

Ele sem dúvidas não poderia deixar de aparecer nessa lista, ainda que seja só o começo dos seus testes, você consegue ter uma ideia de como as coisas estão funcionando, como os scripts que podem estar demorando mais para serem carregados, imagens, scripts, fontes, se o recurso de cache está sendo bem aproveitado, quando esses arquivos estão prejudicando o carregamento, mais usuários acessando significa mais processamento, e com isso o seu site pode começar a apresentar problemas com lentidão e processamento excessivo. Otimize todos os arquivos que forem necessários e use bem as configurações do servidor e navegador a seu favor.

Seu WordPress está processando muito!

Quando você não otimiza o seu banco de dados ou mesmo usa plugins desatualizados ou que não respeitam as boas práticas de desenvolvimento, você pode estar sendo refém do alto processamento e nem mesmo percebe isso. Quando uma requisição precisa ser feita e demora muito tempo, algo não está funcionando como deveria, algumas vezes é um problema temporário, mas quando isso se repete acaba ficando claro que temos um problema. Se você entende um pouco mais da plataforma, sugerimos que use o plugin Query Monitor para analisar o carregamento das suas páginas da administração e verificar possíveis problemas que plugins podem estar causando, seja por incompatibilidade, desatualização ou mesmo desenvolvimento ruim.

Faça um benchmark completo

Para quem ainda não está acostumado com esses detalhes mis técnicos, um benchmark é um teste que irá avaliar o desempenho de um determinado equipamento ou sistema, no nosso caso, uma avaliação do desempenho do seu site e a resposta do servidor junto a ele.
Para testar o seu site, você pode usar o ApacheBench, um recurso do próprio apache que oferece os recursos de teste de desempenho que você precisa para descobrir o que precisa ser corrigido no seu servidor. Com versões para Linux (instalado via repositório) e para Windows, o download pode ser realizado através da sua página oficial, após o download você precisa acessar a pasta bin, e encontrar os executáveis ab.exe ou abs.exe (para sites com ssl habilitado).

Para um teste simples, use o comando:

ab.exe -n 1000 -c 10 -k http://www.seuproprionome.com.br/

Em caso de sites com certificado ssl, use o comando:

abs.exe -n 1000 -c 10 -k https://www.seuproprionome.com.br/

Após alguns minutos você irá concluir o teste e verificar os resultados, eles são muito importantes para você entender como está o processamento do seu site e como isso está te prejudicando.

Server Software:        nginx
Server Hostname:        www.seuproprionome.com.br
Server Port:            443
SSL/TLS Protocol:       TLSv1.2,ECDHE-RSA-AES128-GCM-SHA256,2048,128
TLS Server Name:        www.seuproprionome.com.br

Document Path:          /
Document Length:        457989 bytes

Concurrency Level:      10
Time taken for tests:   489.565 seconds
Complete requests:      1000
Failed requests:        2
   (Connect: 0, Receive: 0, Length: 2, Exceptions: 0)
Keep-Alive requests:    0
Total transferred:      457651700 bytes
HTML transferred:       457498853 bytes
Requests per second:    2.04 [#/sec] (mean)
Time per request:       4895.650 [ms] (mean)
Time per request:       489.565 [ms] (mean, across all concurrent requests)
Transfer rate:          912.90 [Kbytes/sec] received

Connection Times (ms)
              min  mean[+/-sd] median   max
Connect:        0  501 685.0    341   16569
Processing:     0 4075 5307.4   2558   82468
Waiting:        0  493 736.8    318   13430
Total:       1339 4575 5497.9   2965   83753

Percentage of the requests served within a certain time (ms)
  50%   2965
  66%   3936
  75%   4740
  80%   5670
  90%   8100
  95%  10838
  98%  24884
  99%  29584
 100%  83753 (longest request)

Você vai concluir o teste com o resutado semelhante ao que está acima, e você deve analisar as requisições que falharam, Failed requests, quanto mais falhas, mais problemas você pode estar tendo, fique também atento ao tempo de cada requisição (time per request) e veja se esse tempo é muito longo, repita esse teste algumas vezes e faça uma média geral que será o seu ponto de partida para qualquer outra análise.

Conclusão

Com alguns pequenos testes você consegue analisar como anda o desempenho de seus servidores e verificar a necessidade de migrar de provedor com novos recursos, como o cloud gerenciado, mais processamento demenda mais recursos e esse é um serviço excelente para qualquer projeto.

Gostou de nosso post? Compartilhe: