O que é Google RankBrain?

O que é Google RankBrain?

Categoria: Novidades

19/07/2016 às 09:13

O que é Google RankBrain?

 

Provavelmente você já tentou fazer uma pesquisa no Google e não obteve sucesso nos resultados. Mesmo com várias tentativas, novos termos, troca da ordem de palavras e até seguindo as sugestões do site, algumas buscas não têm o retorno esperado. E isso, infelizmente, não deve ter ocorrido apenas uma vez.

Embora pareça, o Google não é perfeito, por isso está otimizando ainda mais seus recursos para oferecer um serviço impecável. Para isso, a gigante da tecnologia lançou sem alardes uma ferramenta muito interessante, que é baseada na Inteligência Artificial e pode afetar diretamente o SEO: o Google RankBrain.

 

O que é Google RankBrain?

 

Esse sistema, que já está na ativa desde outubro de 2015, utiliza a junção da inteligência artificial e um método inteligente conhecido como learning machine (máquinas aprendendo sozinhas) para refinar e qualificar ainda mais os resultados das pesquisas.

Você já deve ter ouvido falar nesses termos, ainda mais se gosta de tecnologia. A inteligência artificial, que é um tema recorrente na imprensa e em alguns filmes, trata-se da inteligência das máquinas equiparadas à humana – algo como já acontece com alguns robôs.

Já a learning machine atua como um complemento, quando o computador ‘aprende’ sozinho, sem necessidade da manipulação humana. Parece algo impossível, mas realmente é um processo utilizado com cada vez mais frequência pelos desenvolvedores. Embora os termos sejam distintos, parecem bem similares no Google RankBrain.

Ou seja: é um projeto que visa interpretar melhor as novas pesquisas que são feitas que, embora alcancem ‘’apenas’’ 15%, correspondem a mais de 450 milhões entre as 3 bilhões que o Google recebe todos os dias. Por meio dessa função, o método reconhece os termos e tenta entender a semelhança entre eles, por mais que não tenham relação e sejam desconexos.

Com a otimização da máquina e um processo de inteligência que recebe melhorias, o algoritmo vai ‘’aprendendo’’ para mostrar o que é relevante e o que realmente tenha a ver com o que o usuário quer ler. Isso parece simples, mas desde 2007 o Google já assumiu o quanto é complexo interpretar as pesquisas dos usuários.

Segundo um artigo da Bloomberg, o RankBrain já é considerado o terceiro fator mais importante em uma pesquisa no site, dentre as centenas que ele utiliza, por isso é considerado inovador e poderoso por muitos especialistas.

Vale esclarecer que todo o aprendizado desse algoritmo é feito de modo offline, por meio das pesquisas antigas e previsões do que há de comum entre uma outra. Você pode estar pensando que é algo básico e que gera muitos erros, mas a atualização do sistema só é feita quando os testes saem realmente como esperado, com chances reais de acerto.

 

E como isso funciona na prática?

 

Na verdade, o Google RankBrain já está em funcionamento, mas claro que não é perceptível aos internautas, por se tratar de mais um recurso, uma engrenagem desse sistema (Humminbird Search Algorithm) que recebe atualizações para refinar ainda mais as pesquisas, e não tão especificamente uma forma nova do Google indexar os resultados.

É algo parecido com outros sistemas que o buscador utiliza, como ferramentas para melhorar o SEO ou rebaixar páginas de spam, mas que chamou a atenção de muitos especialistas justamente pelas características consideradas ‘’inovadoras’’ e próximas à perfeição.

Na prática, o Google RankBrain funciona assim: imagine que você digita no buscador ‘’Qual o consumidor de mais alto nível na cadeia alimentar?’’. Essa questão é a mesma se você procurar mais especificamente, como ‘’nível superior da cadeia alimentar’’. Para ambos, a resposta é predador, porém, na primeira busca não há resultados bons e diretos como na segunda.

É exatamente isso que essa ferramenta quer fazer: o algoritmo visa entender que ambas se tratam do mesmo assunto, por isso vai conectá-las, ou seja, unir o incomum (ou o complexo) com o simples. Isso se aplica para toda a variedade que é pesquisada, para futuramente evitar aquela coisa de ter que digitar muitas e de diferentes formas um mesmo termo para achar algo relevante e que trate realmente do que você está procurando. Interessante, não é?

Outro exemplo testado pelo site Bloomberg é quanto à relevância de determinada busca por regiões. Como se sabe, o que vale para um local não necessariamente é o mesmo para outro. Ao pesquisar ‘’Quantas colheres de sopa há em um copo’’, os resultados se modificaram dependendo do país, como Estados Unidos ou Austrália, por exemplo.

Essa é outra característica peculiar do Google RankBrain, por isso é primordial informar o lugar que você está antes de realizar uma busca. Dá para entender o quanto isso faz diferença e pode trazer um ótimo efeito para todos os usuários?

 

E no SEO, o que muda?

 

O Google RankBrain afeta o SEO de forma direta. Pelo que se entende, é como um fator de qualidade que vai analisar ainda mais as características do conteúdo para classificar as páginas no buscador.

Embora o Google ainda não tenha deixado claro como essa junção de algoritmos funciona, entende-se que agora o ranking mudará conforme a relevância e análise total do que os sites mostram, justamente para evitar erros – e trazer ao internauta algo que tenha a ver perfeitamente com sua pesquisa.

Ou seja: quando você digita ‘’emagrecer com saúde’’, o Google RankBrain ‘’ajuda’’ o SEO a mostrar aquilo que realmente trata do assunto, e não aquele conteúdo que usa a palavra-chave apenas para se promover e aparecer no topo do Google.

Essa estratégia, como você já deve saber, é bem comum e utilizada por muitos sites, que visam a repetição maciça de um termo para melhor posicionamento. Não que isso seja ruim e não fale do tema em questão, apenas haverá uma otimização desse sistema para garantir uma relevância mais próxima possível do que o usuário deseja.

Assim como qualquer empresa de tecnologia, o Google não pode ficar atrás e precisa se renovar e evoluir sempre para manter seu ‘’reinado’’ na internet, afinal, nada está livre de erros, muito pelo contrário. Especialistas entendem que o Google RankBrain ainda se beneficiará muito da Inteligência Artificial, e num futuro próximo trará novidades ainda mais promissoras. Resta esperar e adequar seu SEO a esse sistema para não ficar atrás.

Talvez você goste

Top