O que é e como aplicar uma estratégia de neuromarketing

19/01/2019 às 19:22 Marketing

O que é e como aplicar uma estratégia de neuromarketing

O neuromarketing é um conceito que busca utilizar de estratégias concretas para entender melhor o comportamento dos consumidores.

Como podemos perceber, o neuromarketing é a junção das palavras neurociência e marketing. E quem desenvolve ações de neuromarketing tende a entender melhor o que leva o consumidor a escolher um produto, e claro, o que o leva a rejeitar os produtos dos demais concorrentes.

E ter esse entendimento sobre a “cabeça do cliente” é essencial para ter um negócio de sucesso.

O neuromarketing pode ajuda-lo a desbravar a mente dos consumidores e assim aumentar a assertividade da sua estratégia de marketing, garantindo mais clientes fidelizados e logicamente mais vendas.

Teste 30 dias de E-mail Marketing.

O que é o neuromarketing?

O neuromarketing une a neurociência com o marketing e é um conceito de marketing que busca realizar estudos científicos que comprovem os motivos pelos quais os clientes agem de uma maneira ou de outra.

Essas ações são relativamente caras por utilizam técnicas bem complexas como o monitoramento de frequência cardíaca, rastreamento ocular, entre outros e isso acaba tornando inviável o investimento para muitas empresas menores no mercado.

De qualquer forma, como muitas das grandes marcas de segmentos variados realizam e publicam a sua pesquisa e até mesmo centro de pesquisas tornam os documentos públicos, tornam possível para todo e qualquer empreendedor ter acesso a estas informações e assim buscar o melhor entendimento sobre o comportamento do público de tal segmento.

A ideia é que você consiga utilizar as referências dos estudos já realizados sobre uma marca ou um setor e ter um foco para pontos importantes para fechar mais vendas como os principais critérios para decisão de compra, fidelização, etc.

Neuromarketing tenta compreender o cérebro humano

Por ser baseado numa ciência, o neuromarketing busca estudar e entender o cérebro humano, notando como ele reage a certos estímulos. Em resumo, os estudos buscam entender como cada ação de marketing age no indivíduo de acordo com o que cada emoção desperta nele.

E os principais estímulos que o neuromarketing busca gerar no usuário através das ações de marketing são o desejo e a necessidade de compra, o senso de urgência, entre outros.

E de acordo com os resultados, as empresas conseguem moldar certas características para atender o cliente e fazer propagandas mais assertivas que buscam de fato atrair os consumidores para compra.

E isso indica que será possível captar quais são os pontos que levam o cliente a compra.

Num case bastante conhecido de neuromarketng, por exemplo, um grupo de pessoas foram recrutadas para realizar um teste com dois refrigerantes: Coca Cola x Pepsi.

Todos os participantes tomaram ambos os refrigerantes sem saber qual marca estavam bebendo e acabaram inconscientemente escolhendo a Pepsi como o melhor refrigerante. Num segundo teste, os usuários já sabiam quais marcas seriam degustadas e escolheram a Coca Cola.

E segundo a ciência, quando as pessoas souberam quais marcas estavam bebendo, elas decidiram pela marca pelo qual melhor conheciam. Isso se deve ao fato de como a Coca Cola se posiciona no mercado, o quanto a bebida aparece nas propagandas em meios tradicionais e na internet.

Basta assistir a um comercial da Coca Cola para ver a visão que a marca é vendida, a ideia é que se passa é que a bebida combina com qualquer momento feliz.

Confira também: O que é E-mail marketing e como criar o seu?

Como aplicar uma estratégia de neuromarketing com poucos recursos?

Além de ter uma ideia das pesquisas de neuromarketing do mercado, também é possível utilizar outros meios para entender o comportamento e os fatores que levam um cliente a realizar uma compra.

Estes meios são bem mais baratos do que testes de monitoramento cardíaco, por exemplo, e conseguem dar uma boa ideia, sendo bastante relevantes.

Então, se você desenvolver uma pesquisa de satisfação ou de mercado com clientes e potenciais clientes ou mesmo se você realiza testes A/B com sua base de e-mail, você também estará aplicando uma estratégia de neuromarketing ao seu negócio.

Dessa maneira será possível saber dos próprios consumidores qual é a visão que eles possuem da sua marca. Assim, você pode entender o que sua marca precisa se tornar, o que ela precisa fazer para assumir uma imagem mais atraente para os consumidores.

E os métodos de neuromarketing podem ser embutidos em ações da sua estratégia de marketing digital de uma maneira natural e coerente.

Se você possui uma loja virtual, por exemplo, você pode realizar testes com diferentes layouts e fotos de produtos para saber como os visitantes reagem e quais estilos visuais vendem mais.

Assim também pode ser feito com as fontes utilizadas em seu site, quais cores e onde colocar os CTAs para que eles sejam realmente efetivos. Tudo isso custa planejamento, teste, e claro, tempo.

Conclusão

Nada é do dia para a noite, o marketing digital para funciona precisa de dados e dados só são conquistados com testes e pesquisas e estas demandam tempo.

Porém num curto e médio prazo, aplicar testes de neuromarketing e reforçar o posicionamento da sua marca, de acordo com os resultados, pode gerar um aumento nas vendas e no tráfego do seu site, por exemplo.

A principal dica do neuromarketing em 2019 é priorizar a experiência do cliente. Esse é o principal fator de marketing neste ano.

E isso obviamente visa tornar a experiência do usuário mais agradável, ou seja, facilitando a navegação, a compra e outros fatores que possam aumentar a satisfação dos usuários ao entrarem em seu site e utilizarem seus produtos e serviços.

Gostou? Confira mais dicas em nosso blog. Conheça o nosso serviço de E-mail Marketing.

Gostou de nosso post? Compartilhe: