Como reduzir a taxa de inadimplência do meu negócio?

15/08/2018 às 19:47 Ajuda

Como reduzir a taxa de inadimplência do meu negócio?

Um dos principais fatores que impedem o crescimento das empresas no Brasil é a alta taxa de inadimplência.

Muitas empresas acabam sendo sufocadas e levadas a falência por que seus clientes não são bons pagadores.

Com mais de 63 milhões de brasileiros inscritos no SPC e no Serasa, o poder de consumo diminui.

Segundo pesquisas, mais da metade das famílias brasileiras estão endividadas. Agora, você deve estar se perguntando: Vou vender para quem?

É simples, existem alguns métodos que podem ajudar a sua empresa a diminuir a taxa de inadimplência e conseguir ter mais alívio neste mercado concorrido.

Não tenha dúvidas quanto a isso, é possível transformar devedores em bons pagadores, seguindo as dicas que daremos abaixo.

Confira nossas dicas e implemente-as em sua empresa:

Defina padrões e processos de cobrança

Um dos principais defeitos das empresas é não delimitar padrões de processos e se perder em diversos pontos importantes para o negócio, um deles é a cobrança.

Definir um padrão para os processos de cobrança podem evitar que muitos de seus consumidores virem inadimplentes.

E quando eu falo em adotar um processo unificado, significa que você tratar todos os clientes da mesma maneira quando o assunto for cobrança.

Essa é uma maneira de padronizar a comunicação com o cliente, o deixando à vontade para expressar suas dificuldades de pagamento.

Se você tem de enviar faturas mensais a seus clientes em relação a cobrança de alguns serviços, deixem bem claro o prazo de fechamento da mesma.

A dica é enviar a fatura aos clientes até 10 dias antes do vencimento, assim será mais garantido que o boleto chegue a ele, antes que a fatura vença.

Hoje, as empresas também devem aproveitar a oportunidade de poderem se comunicar online com seus clientes.

Como forma de garantia de recebimento de faturas e economia com serviços de entrega, muitas empresas estão buscando cadastrar clientes no débito automático ou em serviços de envio de fatura por e-mail.

O e-mail também é ferramenta importante para mandar lembretes de vencimento para seu cliente. O contato é menos invasivo do que uma ligação por telefone, que pode gerar constrangimentos ao consumidor.

Sobre o primeiro contato com o cliente

Outro ponto que deve estar bem definido é como será feito o primeiro contato após o cliente atrasar uma conta.

O contato será feito por telefone? Por e-mail? Via correspondência? O ideal é que você defina o meio menos constrangedor e tente expor ao cliente que quer ajudar a saldar sua dívida.

Criar todo esse padrão de cobrança é importante para seus clientes entendam como sua empresa funciona.

Dessa maneira, sua equipe também estará treinada para tentar evitar ao máximo a inadimplência dos consumidores.

Dentro desse processo de cobrança, também é preciso definir como será feita a gestão do setor.

Somente dessa maneira, você terá números claros de clientes endividados ou a beira do endividamento.

Saber quem serão os funcionários que cuidarão dessa área também é importante, já que eles serão os profissionais responsáveis por realizar todos os contatos com os inadimplentes e por isso merecem treinamento para tal.

Saiba quais são os cinco passos para montar sua loja virtual.

Defina quais serão seus canais de comunicação para cobrança

Depois de instaurar um padrão de cobrança é hora de definir quais serão os meios de comunicação utilizados para o contato com os clientes.

Os mais habituais são as correspondências, o contato por telefone e por e-mail.

A melhor alternativa das três é estabelecer contato via e-mail. E por que? Por que esse meio não gera nenhum constrangimento a seus clientes, é um contato direto com o consumidor e dá a possibilidade de documentar todo o processo.

Se você escolher usar o e-mail, você deve pensar em como irá aplicar os padrões citados acima.

Por exemplo, você enviará um e-mail de lembrete X dias antes do vencimento da fatura e um de cobrança após X dias de atraso no pagamento.

O e-mail é uma excelente ferramenta para tal por que você consegue interagir de forma mais pessoal com o cliente.

Além disso, utilizando algumas ferramentas é possível obter métricas como a taxa de abertura e a taxa de cliques dos e-mails enviados.

Outra boa opção para contato como complemento ao e-mail é o telefone. Esse meio deve usado somente em casos mais extremos.

Clientes que estão inadimplentes a mais tempo e que não conseguem resolver sua situação.

No contato por telefone, não cobre a dívida pura e simplesmente, busque mostrar ao consumidor que você apenas quer resolver a situação, então cita algumas possibilidades de renegociação da dívida.

A abordagem deve ser bem medida ao telefone, já que o cliente pode passar por constrangimentos dependendo do caso.

O ideal é que você já tenha um plano de renegociação da dívida para propor ao consumidor antes de entrar em contato com ele. Semelhante ao telefone, também é possível realizar cobranças pelo WhatsApp Business com a mesma finalidade.

Dê tempo e espaço para seus clientes responderem

Cobrar diariamente uma dívida não vai fazer com que ela seja paga. O ideal é que você entenda que os clientes podem estar passando por alguma situação complicada e isso deve ser levado em conta.

A maioria dos clientes não se sente confortável com as dívidas e nem gostaria que isso acontece.

Eles são os mais interessados em resolver esse problema, por isso impor mais pressão para o pagamento pode deixa-los apenas mais desesperados.

Por isso, deixe que seu cliente responda seus contatos dentro de um prazo definido e tente facilitar sua vida.

Gere boletos online ou tenha a opção de débito automático, por exemplo. Outra dica é deixar claro com qual canal ele deve entrar em contato para tratar sua dívida.

E por último ofereça opções de renegociação viáveis, quanto maior for a facilidade, mais rápido o cliente sai da inadimplência e a taxa de devedores da sua empresa irá diminuir.

Gostou? Confira mais dicas em nosso blog. Conheça o nosso serviço de Loja Virtual.

Gostou de nosso post? Compartilhe: