4 tecnologias para o setor de logística de uma PME

22/04/2020 às 20:36 Marketing

4 tecnologias para o setor de logística de uma PME

As volatilidades que rondam o cenário econômico moderno, como crises financeiras e riscos a nível mundial, as Pequenas e Médias Empresas (PME) precisam tornar seus processos ainda mais ágeis e eficientes.

Poupar deslocamentos e trâmites desnecessários ajuda os empreendimentos a pensar no que é mais importante, investir energia no essencial e ganhar tempo.

Para isso, ter uma boa logística pode ser a diferença na competição pelo melhor serviço ou produto no mercado.

Estar por dentro da dinâmica desse setor, que todos os anos faz uso de novas tecnologias para aprimorar a distribuição de bens e produtos, pode significar o diferencial competitivo capaz de levar sua pequena empresa dar um passo além da concorrência.

A logística representa mais do que uma simples ação de automatizar processos operacionais: envolve um planejamento acerca das metas estabelecidas para um determinado período e as ações pensadas para alcançá-las.

Separamos neste artigo 4 tecnologias para o setor de logística de uma PME que vão facilitar muito sua vida. Fique por dentro das novidades e prepare-se para produzir muito mais em um espaço de tempo muito menor.

 Você já conhece o nosso serviço de Loja Virtual? O Serviço de Loja Virtual é apartir de R$39,00 mensal com 40 produtos (cada plano tem sua quantidade de produto limite). Confira agora todas as vantagens que pode obter!

4 tecnologias para o setor de logística de uma PME

1. Aplicativos de Comunicação

A encomenda foi feita, com prazo acertado de entrega, mas… por onde anda o veículo? Se você quer ter mais certeza do cumprimento do frete, a dica é usar os apps que rastreiam a jornada do motorista.

Um deles é o Truckpad. O dispositivo ajuda a dar visibilidade para todas as etapas do processo. O usuário direciona o frete ao escolher se quer enviar para motoristas próprios ou autônomos.

Caso escolha um autônomo, o aplicativo dispõe de mais de 1 milhão de cadastrados.

Além disso, a tecnologia ainda oferece um Gerenciador de Risco, com informações adicionais. O usuário pode fazer o tracking, ou seja, o rastreamento em tempo real, desde a coleta até a entrega final.

Para assegurar o trâmite, os motoristas tiram foto dos comprovantes pelo app, que são entregues digitalizados. Por fim, tanto os motoristas quanto as transportadoras se avaliam constantemente, o que aprimora o algoritmo de recomendação.

Já o Querofrete disponibiliza que o contratante possa negociar diretamente com os caminhoneiros. É possível vê-los, tirar dúvidas por mensagens, e selecionar aquele que seja mais adequado às suas necessidades.

O negócio pode ser fechado pelo sistema, com pagamento direto no site.

Assim como o Truckpad, também é possível acompanhar todo o desenrolar da viagem, recebendo registros da coleta e entrega, o que também dá mais tranquilidade às empresas pequenas e médias. 

Com a confirmação do acordo acertado previamente, o pagamento é liberado.

2. Computação em nuvem 

PMEs precisam buscar soluções constantemente para economizar investimentos financeiros com o departamento de TI. A dica é partir para a computação em nuvem (Cloud Computing) antes tarde do que nunca.

Esse tipo de tecnologia permite o armazenamento, arquivo, compartilhamento e acesso a imagens com maior facilidade, além do gerenciamento de dados de forma mais eficiente e econômica. Menos dados precisam ser armazenados fisicamente, o que ajuda a poupar espaço na empresa.

É possível ainda acessar essas informações com muito mais rapidez e efetuar a análise de dados de modo preciso. Veja outras vantagens:

  •  Relatórios em tempo real: monitore seus dados a medida em que as informações são armazenadas; a computação em nuvem disponibiliza análises visuais sem atrasos, rapidamente.
  •  Conexão entre diferentes dispositivos: acesse a nuvem de qualquer lugar e em qualquer aparelho com acesso à rede mundial, como celulares, laptops, tablets ou estações de trabalho. Independentemente de sua posição física, você pode buscar aquele relatório, gráfico, tabela, ou infográfico.

Leia também: Passo a passo para montar sua loja virtual

3. Armazéns automatizados 

Armazéns coordenados ajudam a fornecer a rotação dirigida de estoques e a otimização de picking, que é a separação dos pedidos dos clientes.

Durante o picking, os colaboradores coletam o mix de produtos dentro do estoque e enviam para a área de expedição, onde são conferidos e preparados para o transporte.

Além desses procedimentos, a implantação de tecnologias que impulsionem a automatização favorece o cross-docking, um processo muito mais avançado do que o armazém, ou warehousing.

Sistemas de armazenamento tradicionais demandam que o distribuidor tenha estoques de produto à mão para realizar a entrega aos seus consumidores.

O cross-docking consegue mover os produtos diretamente do recebimento para o despacho externo sem a necessidade de retenções de longo prazo.

Outro benefício da técnica é a redução de tempo para o fornecimento dos produtos. Assim que o pedido é feito, o item é enviado, movido com segurança de um caminhão para outro e entregue ao consumidor.

Ainda que sua empresa seja de pequeno e médio porte, assegurar a entrega e rapidez de um produto é imprescindível para seu posicionamento no mercado.

4. Tecnologia por radiofrequência – RFID

A tecnologia de RFID (radio frequency identification – identificação por radiofrequência) é uma das 4 tecnologias para o setor de logística de uma PME que mais são usadas ainda nos dias de hoje.

Trata-se de um termo genérico que identifica o uso da frequência de rádio para captura de dados.

Existem diversos métodos de identificação, sendo o mais popular é o armazenamento com um número de série (serial number) que corresponda uma pessoa, um objeto ou mesmo outra informação, em um microchip.

Você também pode gostar: Quanto custa montar uma loja virtual?

A rapidez é uma das principais características desse recurso, que permite a captura automática de dados para identificar objetos com dispositivos eletrônicos, conhecidos como etiquetas eletrônicas, tags, RF tags ou transponders, capazes de emitir sinais de radiofrequência para captadores destas informações.

Esse recurso não apenas substitui o consagrado código de barras como fornece uma base de dados que ajudam na redução de desperdícios, de roubos, gestão de inventários, simplificação de logística e aumento da produtividade.

Uma grande vantagem de seu uso é permitir a codificação em ambientes hostis e de produtos onde a identificação em código de barras não é eficaz.

Procure mais informações a respeito dessas e de outras novidades no âmbito logístico e dê um salto na eficiência de sua organização, seja ela pequena ou média.

Gostou de conhecer essas 4 tecnologias para o setor de logística de uma PME? Então coloque todas elas em prática e facilite ainda mais o dia a dia da sua empresa!

Gostou de nosso post? Compartilhe: