4 dicas para regularizar o seu pequeno negócio

15/04/2019 às 09:21 Ajuda

4 dicas para regularizar o seu pequeno negócio

Muitos brasileiros estão na informalidade. E para ter mais segurança em suas empresas e conseguirem tocar o barco em um pequeno negócio, é preciso saber como regularizar e manter um negócio.

Não é fácil lidar sozinho com tributos notas fiscais, contratos, etc. Por isso, vamos dar algumas dicas de ouro nesse texto.

Qual é a importância de regularizar o meu negócio?

Com a ansiedade de crescer suas empresas, muitos empreendedores acabam deixando toda a parte burocrática de lado. Isto é um erro!

Regularizar o negócio e estar em dia com o governo é uma condição fundamental para ganhar reconhecimento no mercado e ter a confiança dos clientes.

Um negócio regularizado está dentro dos pagamentos de impostos como o INSS. Com isso, todos os seus colaboradores têm os direitos trabalhistas e previdenciários assegurados, o que evita multas e autuações de órgãos fiscalizadores do estado.

A regularização também traz o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).  E apesar de não parecer são poucos os consumidores, e principalmente os fornecedores, que querem fazer negócios com empresas que não tem CNPJ.

Não ter um negócio regularizado, pode fazer você perder contratos, e consequentemente, dinheiro.

Sua empresa também terá facilidade para realizar a emissão de nota fiscal. Caso, você não contrate um sistema próprio, poderá ter acesso ao sistema de sua cidade.

Assim, o cliente sente mais segurança na compra, já que sabe que com a nota fiscal ele pode pedir a troca ou o reembolso de uma compra.

Por fim, regularizar o seu negócio também ajuda na obtenção de crédito. A maioria dos bancos e financeiras do país fazem análises de crédito criteriosas e somente uma empresa legalizada e com os impostos em dia consegue ter crédito com juros e taxas vantajosas para ajudar no crescimento do negócio.

Confira abaixo nossas dicas para regularizar e manter sua empresa nos trilhos:

Escolha a melhor opção de encaixe tributário

O que toda empresa deseja é pagar menos impostos sem infringir a lei, não é? Então, saiba que isso é possível, basta que você escolha o encaixe tributário e se planeje. Geralmente, os pequenos negócios se encaixam no Simples Nacional.

O Simples Nacional é uma opção de impostos reduzidas para empresas que faturem até R$ 4,8 milhões por ano.

O MEI (microempreendedor individual) também se encaixa no Simples Nacional, mas deve se limitar a uma renda anual de R$ 81 mil. Escolher o encaixe tributário é essencial para entender o regime e estar em dia com os impostos.

Confira também: Melhor hospedagem de site.

Tenha um contador de confiança

Existem algo em comum na maioria dos empreendedores: eles não entendem muito de contabilidade.

Por isso, ter um contador de confiança é essencial para estar sempre andando na linha e evitar deslizes como o descumprimento de regras ou o atraso no pagamento de tributos.

Até para otimizar o tempo dos funcionários e o seu, contratar um contador para terceirizar essa parte pode dar o alívio que você precisa para trabalhar no crescimento da sua empresa.

Entender os tributos do governo brasileiro não é fácil, ainda mais quando não se é especialista nisso. Então não perca seu tempo e evite erros contratando um profissional da área.

Assim, além de fugir da receita federal, você terá um especialista que pode lhe dar dicas de como deixar de pagar certos impostos sem ser punidos, observar certas regras burocráticas e trabalhar até na questão de possíveis investimentos para sua empresa.

Cheque as exigências da prefeitura de sua cidade

Além de impostos nacionais, dependendo do seu ramo de negócio você também terá que ter contato e respeitar as exigências do seu estado e da sua cidade.

Dependendo do local onde você mora, é preciso saber junto a prefeitura como conseguir a inscrição estadual e se você pode desenvolver as ações num local X, conseguindo assim um alvará de funcionamento.

Será preciso checar várias informações como IPTU do imóvel usado, necessidade de laudo dos bombeiros, defesa civil, OAB e vigilância sanitária, etc.

Isso é muito importante para não ter sua empresa barrada e seu local de trabalho lacrado pela prefeitura ou algum órgão fiscalizador por estar infringindo regras ou estar em falta com algum documento.

Entenda o jeito certo de emitir notas fiscais

Parece até fácil, mas emitir notas fiscais corretamente pode ser algo bem penoso. É importante saber primeiro se você é obrigado a emitir nota fiscal para seus clientes.

O MEI, por exemplo, não precisa emitir notas fiscais para pessoas físicas, mas é obrigado a emitir para pessoas jurídicas (outras empresas).

E mesmo que você não seja obrigado, é sempre saber o procedimento e conseguir emitir a nota fiscal para qualquer cliente. A maioria das empresas hoje fazem este processo digitalmente, utilizando sistemas online para a impressão da Nota Fiscal Eletrônica (NFS-e).

Geralmente, cada prefeitura possui seu próprio sistema e método para a emissão da Nota Fiscal Eletrônica do município. Aqui no Rio de Janeiro, por exemplo, temos a Nota Carioca.

Para ter acesso a emissão pelo sistema, o empreendedor deve cadastrar uma senha online e fazer seu desbloqueio na Prefeitura do Rio.

Na própria prefeitura, o empreendedor consegue desbloquear a senha em poucos minutos apresentando a solicitação e documento de identificação. Lá também, os funcionários explicam o passo a passo para fazer login no sistema e conseguir emitir nota fiscal.

Já quem trabalha em loja física, emitir uma nota fiscal é ainda mais trabalhoso. A emissão manual geralmente se dá através de sistemas definidos ou notas com preenchimento manual.

Nessa hora, a responsabilidade é grande, já que é preciso anotar todos os produtos e acertar todos os valores para emitir uma nota fiscal sem erros para os clientes.

Gostou? Confira mais dicas em nosso blog. Conheça o nosso serviço de Hospedagem de Site.

Gostou de nosso post? Compartilhe: